“Como Maçãs de Ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.” (Pv. 25.11)

“Feliz o homem que acha a sabedoria e o homem que adquire o conhecimento;
... é Árvore de Vida para os que a alcançam, e felizes são todos os que a retêm." (Pv. 3:13,18)

sábado, 6 de abril de 2013

Idéias para Trabalhar a Criação no Ensino Infantil*

* Esboço escrito a pedido dos professores da educação infantil e da coordenação do Centro de Estudos John Knox, em Belém-PA.
File:Creation Museum 7.png
Foto do Museu da Criação, Kentucky, EUA 

Há várias maneiras de trabalhar um tema como “a criação” na educação infantil. Eis algumas delas:

I-                  Como Eixo Temático

Considerações: A idéia aqui é usar o tema “criação” ou os vários temas relacionados à criação (a luz, os dias, as criaturas, os seres vivos, o homem, etc.), como base para trabalhar os conteúdos do maternal e demais séries. Isso é algo relativamente fácil de ser feito por professores cristãos e é algo interessante. Mas não é necessariamente um ensino cristão. É possível ensinar os mesmos conteúdos usando como eixo temático a história dos três porquinhos. Um problema com esse tipo de abordagem é a integração dos conteúdos. Os conteúdos e atividades ficam muito soltos, sem propósito, sem unidade. O único eixo que une esses diversos conteúdos é a história bíblica da criação, mas fica difícil a criança relacionar e absorver a unidade que existe entre o estudo das formas geométricas da lua e o da família, etc. É, contudo, um primeiro passo na busca de uma educação cristã e reformada, e é válido e útil especialmente na formulação de atividades diárias e na produção de material didático. Os versículos, vocabulários e temas bíblicos servem para introduzir as crianças à história da criação e a familiarizá-las com o conteúdo. A seguir eu incluirei mais algumas sugestões de temas relacionados à criação e de conteúdos a serem trabalhados na educação infantil, mas essa é uma tarefa que pode ser muito melhor desenvolvida pelas professoras, que conhecem mais especificamente os conteúdos mais apropriados e relevantes para as suas séries.
Sugestão Prática: O caminho para desenvolver o tema da criação nos conteúdos do maternal é partir do currículo da escola (não somente o conteúdo de um livro ou material adotado, que em geral é fraco e limitado) mas de todo o conteúdo que a escola cristã se propõe a ensinar no maternal, e então estudar de que maneira o tema da criação pode ser incorporado a vários destes conteúdos. Outra alternativa é ler cuidadosamente os primeiros capítulos da Bíblia e ir relacionando as palavras e temas centrais que poderiam ser aplicados aos conteúdos. A partir daí as professoras podem pensar e elaborar um plano de ação para o ensino desses conteúdos, com objetivos, com um organograma, com um roteiro para a feira da cultura, etc. por um lado, e com atividades para as crianças, de outro.
Sugestão de Conteúdos do Ensino Infantil Relacionáveis ao tema da Criação:

Ciências e Estudos Sociais

- O Dia e a Noite
- Os animais e as plantas que Deus criou e sua classificação (animais da terra, do mar e aves)
- a luz e sua importância x a escuridão - o que fazer durante o dia e durante a noite
- As cores
- O Sol e a Lua e as estrelas
- A Terra e a água, e sua importância
- O homem e a mulher (diferenças de gênero, de roupas, etc.)
- o corpo e a alma
- Seres vivos e seres inanimados que Deus criou.
- etc.

Linguagem

- Ensinar vocabulário sobre a criação
- Ensinar vocabulário sobre a criação em línguas estrangeiras.
- Fazer as crianças recontarem a história da criação, ou cada criança conta uma parte
- Ensinar músicas e poemas sobre a criação
- Usar o vocabulário relacionado à criação para ensinar as letras do alfabeto: A- Adão B- Bom C- Criação, D- Deus, E- Eva, F- Fez, etc. ou fazer versos, ou as vogais.
- Atividade: Fazendo como Adão: Dando nome aos animais.

Matemática

- As formas geométricas x o que é sem forma e vazio.
- separar e classificar os seres criados.
- Os seis dias da criação (contar até seis)
- Os sete dias da semana para ensinar ordem (primeiro, segundo, terceiro... o que Deus fez no primeiro dia, no segundo...), etc.

Arte e Ética

- Explorar a capacidade dada por Deus que o homem também tem de criar, de fazer arte, embora de maneira diferente de Deus: Deus fez do nada, nós precisamos do material.
- Realizar atividades criativas e artísticas, apreciá-las e julgá-las como belas e boas – ou não.
- A importância do descanso, especialmente no Domingo, etc.
- A importância da comunhão e do culto ao Deus Criador.

II- Como Aplicação da Perspectiva Cristã aos Conteúdos


Considerações: Como mencionei anteriomente, usar a criação como um tema transversal para o ensino do conteúdo não significa ensinar da perspectiva cristã. É possível fazer atividades como cantar músicas sobre a criação, aprender a sua história, seus fatos, etc., e ainda assim falhar em aplicar as verdades de Deus relacionadas à criação para a vida das crianças. Sem dúvida é melhor usar a frase: “Deus me fez” na leitura das crianças, do que a frase: “Lili é linda”; é melhor ensinar um corinho sobre a criação do que “Atirei o pau no gato”, mas isso não basta para a escola cristã. A tarefa de tirar lições da criação para a vida da criança, de extrair verdades da criação para que a criança as conheça, é muito mais profunda e importante, pelo menos na minha opinião, e creio que essa é também a ênfase da educação reformada em geral.
Sugestão Prática: Para desenvolver essa perspectiva cristã no ensino dos conteúdos, os professores podem estudar/ouvir livros e mensagens sobre as doutrinas bíblicas que embasam o determinado assunto tratado (no caso da criação, por exemplo, uma boa sugestão são as partes do livro de Antropologia do Pr. Paulo Anglada que tratam sobre a Doutrina da Criação e o Pacto das Obras, ou estudar o que os símbolos de fé de Westminster têm a dizer sobre o tema, ou ler bons comentários bíblicos sobre o relato da criação e estudar outros versículos bíblicos que ensinam sobre a criação - no Novo Testamento também! Adalto Lourenço também produziu DVDs sobre a Criação e Criacionismo, os quais os professores poderiam ouvir em grupo e buscar aplicações para as suas disciplinas). A idéia aqui é dar aos professores um embasamento teológico profundo no seu assunto que os habilite a extrair dessas importantes doutrinas aquelas lições relevantes e aplicáveis às suas disciplinas e aos seus conteúdos específicos, a fim de que possam buscar as suas implicações para a vida, para a educação e para a formação das crianças dentro dos conteúdos e habilidades propostos para cada série.
Sugestões de Implicações da Doutrina da Criação para os Conteúdos da Educação Infantil:

Ciências Sociais

- Deus, o Criador, tem um plano para a vida no planeta terra, para o ser humano, e para tudo que criou. Esse plano deve ordenar a nossa vida em todas as suas esferas.
- Na Criação, Deus fez o universo, a natureza, os animais e o homem.
- Na Criação, Deus formou o meu corpo, para refletir o seu ser.
- Na Criação, Deus me deu um espírito: para que possa me relacionar com o meu criador (fui criado à imagem de Deus). O que é o meu espírito/alma?
- Na Criação, Deus deu um propósito para a minha vida: Adorar a Deus e gozá-lo para sempre.
- Na Criação, Deus me deu um papel especial: Dominar a criação, cultivar a terra: a importância do trabalho. A função do aluno é governar a criação em sujeição a Deus.
- Na Criação, Deus ordenou o trabalho: A importância dos seis dias da criação – trabalho e estudo diligente: “seis dias trabalharás.”
- Na Criação, Deus ordenou o descanso: A importância do sétimo dia da criação para descanso e adoração.
- Na Criação, Deus estabeleceu o culto, a comunhão com Deus.
- Na Criação, Deus estabeleceu a família, seus membros, seus papéis, a função da família, procriação, etc.
- Na Criação, Deus estabeleceu o princípio da variedade e da diferença na unidade, ensinando que nós, assim como Deus, devemos amar e valorizar a diversidade encontrada na natureza e no ser humano.
- Na Criação, Deus nos ensinou a viver em sociedade: a sermos amigos, ajudadores dos nossos próximos e a sermos unidos aos demais membros da família de Cristo.
- Na Criação, Deus nos ensinou a cuidar e a desenvolver o mundo: O que significa cultivar o jardim. Como cuidar do meio ambiente e dos animais de acordo com a vontade de Deus?
- O homem também é criador, e deve fazer tudo com propósito, deve criar coisas boas. A importância do propósito para o qual as coisas são criadas.

Linguagem

- A importância da Palavra: Deus criou pela Palavra. Deus nos deu a capacidade de nos comunicarmos com Ele e com outros homens. A importância de compreender e obedecer a Palavra e os mandamentos que Deus nos deu na Criação, etc.
- Memorização e compreensão das primeiras perguntas do catecismo sobre a Criação:
“Quem fez você? Deus.
Que mais Deus fez? Deus fez todas as coisas.
Para que Deus fez você e todas as coisas: Para a sua própria glória.
Por que eu devo glorificar a Deus: Porque Ele me fez e cuida de mim.
Como posso glorificar a Deus? Amando a Deus e fazendo o que ele me ordena.
Quem foram as primeiras pessoas? Adão e Eva.
Como Deus criou os nossos primeiros pais? Deus formou o corpo de Adão do pó da terra, e o de Eva foi formado de uma costela de Adão.
Como eram os nosso primeiros pais? Eles eram santos e felizes”.

Matemática

- O mundo que Deus criou é um mundo de ordem através de números.
- Deus nos deu uma razão com capacidade de perceber a ordem e as leis da criação e aplicá-las em problemas do dia a dia, etc.

III-           Como Extração de Lições Gerais do Estudo da Criação para a Vida


Considerações: essa é uma das melhores maneiras de unificar e dar sentido ao estudo da criação, relacionando os conteúdos entre si, de modo que eles façam sentido para os alunos. Assim, ainda que a criança esqueça os detalhes sobre as formas geométricas ou classes de animais, elas vão saber identificar as lições gerais e mais importantes para a sua vida e alma. Essa abordagem também sai da esfera da memorização e força a criança a internalizar e a aplicar essas verdades bíblicas à sua vida, e a criança saberá integrar os conteúdos mais diversos, à medida que entende que tanto as formas geométricas como a variedade dos animais são obras de um Deus poderoso e sábio, e são também instrumentos que o homem pode usar no desenvolvimento de suas vocações, e assim por diante.
Sugestão Prática: Esse é um trabalho um pouco mais difícil para o professor, porque envolve pensar, selecionar e extrair o cerne, o objetivo maior de todos os assuntos trabalhados. Isso me faz lembrar do trabalho de pregadores, que trabalham, estudam um determinado texto bíblico com o propósito de encontrar dois ou três temas centrais que geram lições gerais e importantes para a vida dos ouvintes. E a comparação do trabalho do professor com o do pregador não é absurda, já que, assim como os pastores são chamados de “ministros da palavra”, os professores podem bem ser considerados como “ministros da criação”. Por isso cabe a cada professor identificar as lições cristãs gerais e mais importantes que dão unidade e sentido a todo o leque de conteúdos da educação cristã.
Sugestões de “Lições Gerais” que integram os diversos conteúdos e disciplinas de uma série:
- Aprender sobre o Criador, sua pessoa e suas obras, seu poder e atributos. Deus é o Criador que fez tudo do nada. Objetivo: Um aprendizado que leve a criança a conhecer melhor, a amar, a temer e a adorar o Deus criador dos céus e da terra.
- Aprender sobre mim mesmo: Eu sou um ser humano, uma alma vivente, e sou digno por ter sido feito à imagem de Deus, como uma criatura especial. Sou um ser integral, tenho corpo, alma, mente, vontade, sentimento, e fui criado com a capacidade de me expressar e de me comunicar; tenho sentimentos, um senso moral (consciência), e uma incrível capacidade artística e criativa. Devo, portanto, para refletir a imagem de Deus e obedecer a Deus, reinar sobre a criação e cuidar dela conforme Deus nos ensina na Bíblia. Fui criado com um propósito supremo: conhecer e adorar e gozar o Criador. Tenho o dever de me relacionar com Deus (em primeiro lugar) e com o meu próximo de maneira apropriada e submissa. Preciso ser humilde, reconhecendo que sou criatura e que preciso de Deus para tudo, para o ar que respiro, e para saber o que devo fazer hoje. Devo, ainda, reconhecer que estou em tudo sujeito às leis de Deus.
- Conhecer melhor e aprender a me relacionar com as demais criaturas de Deus: Quais são minhas responsabilidades para com os animais, a natureza, o lugar onde moro, a escola que frequento? O que é mais importante: Deus, o homem, os animais, as plantas, como estes estão relacionados e qual a sua ordem de importância? Quem devo amar mais: Deus ou os meus pais? É certo preservar os animais e deixar as pessoas morrerem de fome? E questões parecidas.
- Buscar compreender o porquê, o como e o para quê da Criação. Aprender sobre o porquê da Criação: a vontade soberana de Deus. Aprender sobre como todas as coisas vieram a existir: Deus falou pela Palavra do seu poder, Cristo estava na criação e tudo foi feito por intermédio dele, os dias da criação, a ordem dos seres criados, etc. Aprender sobre o propósito da existência de todas as coisas: a manifestação da glória, da majestade, do poder, da sabedoria, da bondade do Criador.
- Evidenciar também como a vontade, os caminhos e os propósitos de Deus (para o homem, para o trabalho, para a família, para os animais, etc.) são bons e excelentes, embora sejam diferentes dos nossos e dos do mundo ímpio, de maneira a levar a criança a não confiar em si mesma, a não buscar a sua própria vontade, a não se estribar em seus próprios pensamentos, mas a buscar sempre submeter-se à vontade de Deus.

IV- Como Exposição de Material Selecionado


Considerações: Como auge ou consumação dos estudos e atividades que foram realizadas com as crianças ao longo do semestre, o professor pode decidir concluir esse trabalho sobre a criação com uma exposição numa feira cultural, ou num mural no corredor da escola, ou numa peça ou cantata, ou numa apresentação que fica a critério do professor. Essa etapa final é importante porque permite que as crianças se envolvam na criação de material, memorizem e gravem bem as lições que aprenderam, e certifiquem-se de que podem também compartilhar e ensinar para outros as verdades tão importantes que aprenderam.
Sugestão Prática: Nesse caso, tanto o professor como os alunos serão beneficiados se tiverem esse projeto em mente durante o semestre ou o ano e possam ir preparando o material para exposição ao longo das aulas, para não ficar tudo concentrado para o final, e as crianças acabem se concentrando não no que precisam internalizar, mas só no que precisam exibir.  Para isso, o professor deve decidir o quanto antes, juntamente com a coordenação pedagógica, o que será exposto nessa feira ou apresentação: as atividades que as crianças fizeram? O conteúdo pedagógico ligado aos vários temas da criação? Uma exposição da perspectiva cristã sobre o homem, o mundo, a família e as demais criações de Deus? Ou uma mistura de tudo? O que quero dizer é que a exposição também precisa ter um tema, uma unidade, um propósito, e os professores deverão escolher alguns assuntos mais relevantes para serem expostos para os pais e visitantes da exposição.

Sugestões de Temas para Exposição:

- “Conheça as Coisas que Deus Criou” – as crianças/grupos podem expor em cartazes, músicas ou se caracterizando (se fantasiando de animais, de sol, de árvores, etc.) os conteúdos que aprenderam que estão relacionados à criação: (astros, água, terra, animais, plantas, etc.)
- “Como o universo veio a existir?” – Deus decidiu criar, Deus falou, Deus formou, Deus elaborou passos/etapas, Deus avaliou a criação para nos assegurar de que era boa, e Deus descansou de sua obra.
- “O que a Criação me ensina” – a valorizar o trabalho, a compreender o propósito da minha vida, a valorizar minha família, a ser grata pela variedade das coisas que Deus criou para o meu bem, a cuidar da criação, a adorar a Deus, a criar coisas boas, etc.
- “Deus, Eu e a Criação” – Quem Deus é: O que ele fez e pode fazer / Quem eu sou: De onde eu vim. Por que estou aqui? / O meu lugar no mundo: Como devo viver diante de Deus, com os outros e com a natureza?
- “A Criação e a Glória de Deus”: Deus é digno de toda glória e louvor: o poder e atributos de Deus: sabedoria, amor, bondade/ A Criação proclama a Glória de Deus (os céus, o sol, a lua e as estrelas revelam sua majestade; os animais revelam a sua inteligência e criatividade; o ser humano revela a sua sabedoria; o planeta terra revela a sua bondade e cuidado para com o homem; os mares revelam o seu poder, etc.)/ Eu devo glorificar a Deus (com minha vida, trabalho, culto, relacionamentos, etc.)

Conclusão:

Há milhares de anos a Bíblia tem sido usada como o livro-texto principal para a educação das crianças dos filhos de Deus. Moisés ordenou que o povo de Israel ensinasse aos seus filhos os louvores do Senhor, o seu poder, e as maravilhas que fez, a começar com a criação. Por muitos anos, os herdeiros dos puritanos ensinavam o Alfabeto às crianças a partir da letra A de Adão. Em outras palavras, nada é mais natural e apropriado para o ensino infantil do que ajudar o aluno a compreender e a explorar a obra de Deus na Criação, já que ele está cercado de todas essas obras, e a sua mente está naturalmente interessada e cheia de perguntas sobre a origem e as maravilhas da luz, do sol, das plantas, dos animais, das frutas, da família, etc.
A própria ordem que os temas são apresentados na Bíblia é perfeitamente apropriada para que as obras de Deus sejam absorvidas pela mente infantil: A criação, a queda e a história bíblica da redenção, no antigo e no novo testamento, são temas que podem ser trabalhados em uma sequência que faz sentido para a criança à medida que ela cresce na sua capacidade de compreender cada uma dessas obras de Deus. Fica aqui, portanto, a sugestão de que esse estudo da criação seja seguido pelo estudo da queda (ver livro da Queda do Homem para as crianças, de Gallaudet, disponível neste blog), e da história da redenção.
Gostaria de lembrar os leitores que o tema da criação é tão importante e básico que Satanás o tem atacado com toda a sua força por meio do atual e fortíssimo movimento evolucionista. E nossas crianças precisam, desde muito cedo, estar preparadas e seguramente vestidas com o “cinturão” da verdade bíblica sobre a criação. Sem essa base, o ensino não pode ser cristão. E creio que este é um passo primeiro e essencial para a reforma da educação que tanto desejamos. Que Deus abençoe os esforços de nossos pais e educadores cristãos!

Um comentário:

  1. este projeto é excelente,só uma coisinha está errada,Deus terminou tudo no sexto dia e no sétimo descansou,por isso devemos descansar e guardar o sábado como um dia santo porque Ele descansou e abençoou o sétimo dia ou seja o sábado.

    ResponderExcluir