“Como Maçãs de Ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.” (Pv. 25.11)

“Feliz o homem que acha a sabedoria e o homem que adquire o conhecimento;
... é Árvore de Vida para os que a alcançam, e felizes são todos os que a retêm." (Pv. 3:13,18)

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Os Deveres dos Pais - Parte 2


Este segundo conselho do Bispo Ryle é bem curtinho, mas é fundamental e o ponto de partida para uma abordagem bíblica do assunto. Você não tem desculpa para não ler e meditar sobre esse precioso conselho!

I.                    Primeiramente, portanto, se você deseja treinar os seus filhos corretamente, treine-os no caminho em que devem andar, e não no caminho que eles preferem.   

Lembre-se que filhos já nascem com uma decidida tendência ao pecado, e portanto, se você deixar que eles escolham por si mesmos, é certo que escolherão mal.

Uma mãe não pode prever o que o seu bebezinho será quando crescer – alto ou baixo, forte ou fraco sábio ou tolo, ele poderá ser qualquer uma dessas coisas ou não – tudo é incerto. Mas uma coisa esta mãe pode dizer com certeza: ele terá um coração corrupto e pecaminoso. É natural a nós fazer o que é mal. “A tolice”, diz Salomão “está ligada ao coração da criança” (Prov. 22:15). “A criança deixada a si mesma traz vergonha à sua mãe” (Prov. 24:15). Os nossos corações são como a terra onde andamos; deixe-a à si mesma e é certo que ela produzirá ervas daninhas.

Se você deseja, portanto, lidar de modo sábio com os seus filhos, você não deve deixar que eles sejam guiados pela sua própria vontade. Pense por eles, julgue por eles, aja por eles, assim como você faria por alguém que se encontra em estado de fraqueza e de cegueira; mas pela misericórdia, nunca os entregue às suas próprias vontades e inclinações rebeldes. Não são os seus gostos e desejos que devem ser consultados. Eles ainda não sabem o que é bom para as suas mentes e almas, assim como também não sabem o que é bom para os seus corpos. Você não deixa que eles decidam o que vão comer, ou beber, ou como se vestirão. Seja consistente, e lide com as suas mentes da mesma maneira. Treine-os no caminho que é bíblico e correto, e não no caminho que eles imaginam e desejam.

Se você está tendo dificuldade para se convencer deste primeiro princípio para o treinamento cristão de filhos, é inútil que você leia o que será dito adiante. A vontade-própria é quase sempre a primeira coisa a aparecer na mente de uma criança; e o seu primeiro passo deve ser resistir a ela.  

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Os Deveres do Pais - Por J. C. Ryle

"Uma das posições mais desafiadoras (e recompensadoras) na qual uma pessoa pode se encontrar é a de um pai (ou mãe). Infelizmente, poucos se preparam para esta grande responsabilidade, embora ela consista na maior parte da vida de um pai. J. C. Ryle vem ao nosso resgate novamente, com conselhos bíblicos e profundos, para nos auxiliarem nesta importante tarefa." (Trecho extraído da contra-capa.)

O texto a seguir é uma tradução do livreto "The Duties of Parents", originalmente publicado no século XIX (1888), e extraído de uma série de sermões sobre a criação de filhos proferidos pelo bispo Galês J. C. Ryle. Eu suponho que o autor deste livro despensa introduções ou comentários, visto que a maioria dos leitores provavelmente já possui acesso a várias das suas outras obras tão conhecidas e reconhecidas no meio cristão-reformado.

Esta postagem é a primeira de uma série de aproximadamente 20 postagens, cada uma contendo um dos seus preciosos e sábios conselhos para a criação e o treinamento de filhos nos caminhos do Senhor. Os princípios esboçados aqui não são simplesmente dicas instantâneas e fáceis. A criação de filhos é uma tarefa dura, mas se você realmente levar em consideração e colocar em prática os conselhos oferecidos aqui, os seus filhos estarão sendo preparados para a eternidade.


“Treina a criança no caminho em que deve andar e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” (Prov. 23:6)

Eu suponho que a maioria dos cristãos professos estão bem familiarizados com o texto que se encontra no cabeçalho desta página. O seu som é provavelmente familiar aos seus ouvidos, como uma velha canção. É bem provável que você já tenha ouvido, ou lido, ou falado sobre e citado este texto muitas vezes, não é verdade?

Contudo, apesar de tudo isso, quão raramente a substância deste texto é observada! A doutrina que ele contém parece ser escassamente conhecida, e o dever colocado diante de nós por ele parece ser terrivelmente pouco praticado. Leitor, eu não estou falando a verdade?

Não se pode dizer que o assunto é novo. O mundo é antigo, e nós temos a experiência de cerca de seis mil anos para nos ajudar. Nós vivemos em dias em que observamos um tremendo zelo pela educação em todos os cantos. Nós ouvimos falar de novas escolas surgindo em todos os lados. Nos é dito sobre novos sistemas, sobre novos livros para crianças de toda sorte e descrição. E mesmo com tudo isso, a vasta maioria das crianças claramente não estão sendo treinadas no caminho em que devem andar, pois quando se tornam adultas, elas não andam com Deus.

Agora, como devemos considerar este estado de coisas? A pura verdade é que o mandamento do Senhor no nosso texto não está sendo observado; e portanto, a promessa do Senhor em nosso texto não está sendo cumprida.

Leitor, estas coisas deveriam suscitar uma grande sondagem de corações. Atente, portanto, às palavras de exortação de um ministro sobre o correto treinamento de filhos. Acredite, este assunto deveria ser familiar a toda consciência, e deveria fazer com que qualquer um se perguntasse “será que eu estou fazendo tudo o que está ao meu alcance nesta área?”

Este é um assunto que deveria ser da preocupação de quase todos. Dificilmente haverá um lar que ele não toca. Pais, babás, professores, padrinhos, madrinhas, tios tias, irmãos, irmãs – todos deveriam se interessar por ele. Poucos podem ser encontrados, penso eu, que não possam influenciar algum pai ou mãe quanto à administração da sua família, ou afetar o treinamento de alguma criança por sugestão ou por conselho. Todos nós, eu suspeito, podemos fazer alguma coisa nesta área, seja direta ou indiretamente, e eu desejo suscitar todos a gravar isto em sua memória.

Este é um tema, também, com relação ao qual todos os seus interessados correm grande perigo de se encontrarem em falta quanto às suas responsabilidades. Este é preeminentemente um ponto acerca do qual as pessoas veem as falhas dos seus próximos mais claramente do que veem as suas próprias. Elas muitas vezes criarão os seus filhos nos mesmos caminhos que elas têm alertado aos seus amigos como sendo perigosos. Eles verão pequenos ciscos em outras famílias, mas não se atentarão às traves que existentes na sua própria família. Eles serão atentos como as águias para detectar defeitos alheios, e ao mesmo tempo cegos como morcegos para os erros fatais que diariamente ocorrem em seus lares. Eles serão sábios com relação ao lar do seu irmão, mas tolos com relação à sua própria carne e sangue. Se existe algum lugar em que nós devemos suspeitar dos nossos próprios julgamentos, é este. Isto também, você fará bem se mantiver em mente.

Como ministro, eu não posso evitar a advertência de que dificilmente há qualquer outro assunto sobre o qual as pessoas parecem ser tão obstinadas quanto com relação aos seus próprios filhos. Eu tenho ficado perplexo, algumas vezes, ao ver a dificuldade que sábios pais cristãos demonstram para admitir que os seus filhos estão em falta ou para assumir que possuem culpa. Não são poucas as pessoas a quem eu, sem dúvida, preferiria ter de falar sobre os seus próprios pecados, do que dizer a eles que seus filhos fizeram qualquer coisa errada.
Venha agora, e deixe-me colocar diante de você algumas dicas sobre o treinamento correto dos seus filhos. Que o Deus Pai, o Deus Filho e o Deus Espírito Santo abençoe esta mensagem, e faça dela ‘palavras ditas a seu tempo’ a todos vocês. Não as rejeitem simplesmente por serem duras e simples; e não as desprezem simplesmente por não conterem novidade alguma. Esteja certo, se você deseja treinar os seus filhos para o céu, os conselhos que aqui seguem não devem ser negligentemente deixados de lado. 

Na próxima postagem, consideraremos o seu primeiro conselho: "Treine os seus filhos no caminho em que devem andar, e não no caminho que eles preferem." Aguarde!